Segunda a Sexta: 07h00 às 19h00
Sábado | 07:30 às 12:00

(16) 3441.1076 | 34411077

Notícias // UnaVita Clínica Médica. Bem-estar do paciente e atendimento diferenciado.

Sociedade Brasileira de Mastologia celebra Outubro Rosa chamando a atenção para o direito da Reconstrução Mamária Imediata às mulheres que passam pela mastectomia
02 de Outubro, 2015

Sociedade Brasileira de Mastologia celebra Outubro Rosa chamando a atenção para o direito da Reconstrução Mamária Imediata às mulheres que passam pela mastectomia

No mês em que o mundo celebra oficialmente a conscientização e prevenção ao câncer de mama, o Outubro Rosa, a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) lança o slogan “NENHUMA MULHER SEM MAMA”. O objetivo é alertar a população que a cirurgia da reconstrução mamária imediata não é vaidade, mas um direito de todas as mulheres que passam pelo processo de mutilação devido ao tratamento da doença. Apesar disso, segundo a Rede Goiana de Pesquisa em Mastologia, apenas 29,2% das pacientes brasileiras submetidas à mastectomia pelo Sistema Único de Saúde (SUS) tiveram acesso à reconstrução em 2014. Embora a reconstrução mamária tenha aumentado no período de 2008 a 2014, de 15% para 29,2%, cerca de  7,6 mil mulheres tratadas pelo SUS em 2014 não puderam ser beneficiadas pela Lei nº 12.802, que estabelece a reconstrução mamária como procedimento obrigatório no mesmo ato no qual foram retiradas as mamas. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, Dr. Ruffo de Freitas Júnior, esse deve ser o foco: a necessidade de ampliar o número de cirurgiões disponíveis para fazer a reconstrução das mamas. “A mulher brasileira não merece ficar sem acesso à reconstrução imediata”, afirma ele. Para Dr. Ruffo, os efeitos de uma mutilação parcial ou total são, em 90% dos casos, devastadores. A maioria das mulheres mastectomizadas fica anos aguardando pela cirurgia. “O fator psicológico é diretamente abalado e precisamos reverter essa realidade de baixo acesso à reconstrução”, diz o presidente. A SBM tem priorizado a formação e o aperfeiçoamento dos mastologistas nesta área para ampliar o número de profissionais qualificados e aptos para a realização desse tipo de procedimento. “Avançamos muitos nos últimos anos através do legislativo. Precisamos, agora, compartilhar a informação qualificada e contribuir para a realização desses procedimentos”, completa ele, ressaltando que a reconstrução imediata é um direito de cada mulher que passa pela mastectomia, porém, só é realizada se as condições clínicas da paciente não oferecerem nenhum risco, ou seja, se houver segurança oncológica. Só no Brasil, segundo estimativa do INCA governo, serão mais de 57 mil novos casos de câncer de mama em 2015, assim como foi no ano passado. Por isso, durante o mês de outubro, as regionais da SBM irão realizar ações como corridas, exposições, palestras e mutirões com apoio das Secretarias de Saúde, ONGs e instituições de apoio a mulheres com câncer com o objetivo de repassar as formas de prevenção e tratamento, além de explicar como é feita a cirurgia da reconstrução mamária. “É importantíssimo alertar às mulheres nessas datas, já que todo o mundo está voltado para essa causa. A reconstrução imediata eleva a autoestima da mulher e, consequentemente, melhora sua qualidade de vida. Todas as mulheres têm esse direito”, alerta Dr. Ruffo, acrescentando que “tem muita vida após o câncer de mama”.   Fonte: www.sbmastologia.com.br